segunda-feira, setembro 18, 2006

O Túnel, a visceralidade e a insónia


Há um livro que li em tempos, e foi como se o tivesse lido ontem.


Há livros assim, que nos são viscerais. Nem sempre são melhores que outros que se soltam mais depressa, isto é, a visceralidade de um livro não é critério de qualidade. Acontece que sobre este sempre quis deixar umas palavras e nunca consegui. Teria de pegar nele de novo, e, confesso: não estou preparado.


Mas ontem descobri quem, sem querer, falou dele melhor que alguma vez a minha intencionalidade mo permitiria, e resolvi deixar-vos o link, e, claro, a sugestão de leitura.


O livro é "O túnel", de Ernesto Sábato, ou de como a linha mental que controla o nosso equilibrio é ténue.

Quem fala dele sem saber é Henrique Manuel Bento Fialho, no seu incontornável Insónia:

7 comentários:

angi disse...

Não estás preparado ou não é característica tua agarrares-te de novo a livros que já te marcaram, quando tens tantos à tua espera. Pois eu já sabes como sou, e sei que lhe vou re-pegar, porque não suporto que as marcas não sejam bem vivas. estou sempre no Refresh. E só o facto de te lembrares dele, e a mim, e de me lembrar do visceral que é (lembro-me que me deixou fisicamente mal...) leva-me a daqui a nada estender a mão e levar mais um peso na sacola. depois conto-te ;)

hmbf disse...

Podes crer que é mesmo sem saber. Nunca li esse livro, mas fiquei curioso.

disse...

Sim, sem dúvida que há livros assim. A "minha" aparição é um livro desses assim. Mas acho que não são só os livros. Podemos também ter músicas ou filmes que são quase nossos, que apesar de muitas vezes termos a noção de que racionalmente não são o melhor alguma vez criado mas não nos outra coisa que senti-los como "aqueles" livros...
Um abraço

redonda disse...

Gosto muito das sugestões de livros e aproveitei este link e o link de um post seguinte para outros blogs.

Um beijinho

musalia disse...

obrigada pela sugestão. não conheço mas fiquei com vontade de o folhear :)

bjs.

magarça disse...

Já está na minha lista de compras.

Fábio disse...

Angi: Sabes muito. :) Tens razão, sabes que tenho tanta sede de tantos livros que me custa (ainda) repetir. Mas neste caso, como disse, o prelúdio da dôr assusta-me um pouco.. Bisou

Henrique: Lê então, e depois diz-me o que achaste, ou faz outra (brilhante) revisão da matéria dada. Um abraço.

Zé: Concordo, evidentemente contigo. É quase como o p+rincipio do amor clubistico. Se toda a gente gostasse do melhor seríamos todos.. Benfiquistas.. :) O amor pela imperfeição, o amor por atributos que são díspares da qualidade constitui o veículo para a diferença (sim, sei que já fujo um pouco ao tema). Tão bom (re)encontrar-te aqui.

Redonda: És sempre tão carinhosa. Obrigado. Espero que tenhas gostado dos nlogues referênciados. Beijinho

Musalia: folhear este livro, como verás, é um acto quase compulsivo. Espero que tires muito proveito e me venhas dar conta da tua opinião. Baci

Magarça: se estiver muito no fim da lista posso emprestar-to.. :) Beijo